6 de setembro de 2017

SPFW 2017 traz cores e muito Brasil para as Passarelas

Fala Galera, tudo bem com vocês?
Mais uma vez tivemos a honra de cobrir o evento de moda mais importante do Brasil, e um dos maiores da América Latina.
A #SPFWN44, trouxe as coleções Primavera - Verão, ou seja das próximas estações. 
Eu, particularmente gostei e muito de inúmeros trabalhos. Na edição passada (outono/inverno), senti a falta de algumas coisas, mesmo tendo grandes nomes nas passarelas, diferente dessa edição que contou com números menores de marcas desfilando. (é a crise afetando também a moda).
O que mais me chamou a atenção, e provavelmente tenha me ganho, foi a brasilidade nas produções. Diferente de muitas outras edições, onde viamos reproduções de passarelas de Paris, ou outras semanas de moda internacionais, nessa edição vimos de fato o Brasil desfilando nas produções.
Foi um Show (literalmente), de cores, sabores e amores que só os brasileiros sabem fazer.
Mas melhor do que falar é mostrar, certo? Então bora conferir!

  • João Pimenta
Saem os ternos tradicionais, entram peças com recortes, amarrações e bordados. Telas bidimensionais, linho, texturas em jacquard, formaram uma coleção interessante, porém não linear. Os ternos foram usados sem camisa por baixo e as calças, com formas amplas, prevaleceram na alfaiataria bem trabalhada.
Fotos: Zé Takahashi
  • OSKLEN
Quando a família de Tarsila Amaral se aproximou da Osklen com a ideia de sua obra virar inspiração para uma coleção da marca, Oskar Metsavaht sentiu-se igualmente honrado e desafiado. É inegável a importância da artista, mas como uma marca autoral como a Osklen trabalharia algo que já chega pronto e com tanta história embutida?
Segundo a FFW, a equipe da Osklen teve o privilégio de desfrutar de todo o acervo da artista e, foi quando eles viram os esboços de Tarsila, que as ideias começaram a surgir.
No meio do caminho, uma série de vermelhos inspirada no autorretrato Manteau Rouge quebra a calmaria momentaneamente. A parceria encerra com peças totalmente estampadas por obras de Tarsila, como Abaporu e Brasileiros.
Fotos: Zé Takahashi
  • RATIER
A RATIER trouxe uma coleção com sob a direção criativa do grande Renato Ratier, e com o Styling da Vivi Rivaben. A coleção conta com um preto e branco bem presente, e uma pegada bem original e única da marca.
Fotos: Zé Takahashi
  • LAB
Vamos começar de trás pra frente: o desfile acaba, o público levanta pra aplaudir, espremendo ainda mais o espaço da passarela, que já era bem apertadinho. Os modelos passam então bem grudados na gente enquanto, espalhados pela plateia, os MCs Rael, Kamau, Coruja BC1 e Drik Barbosa, acompanham Emicida e Fióti, cantando juntos naquela sintonia de harmonia caótica e maravilhosa que o rap faz acontecer.
Enquanto os modelos fazem a volta final em direção ao camarim, vemos o brilho no olho, dá para sentir a energia que eles estão sentindo e, especialmente nos modelos negros, notamos o orgulho que vira um manto de luz sobre seus corpos. O público fica extasiado porque é uma troca de energia grande, rápida e genuína.
Esse é apenas o terceiro desfile da Lab no SPFW, marca criada pelos irmãos Emicida e Evandro Fióti.  Em poucas edições, eles se tornaram uma sensação ao mostrar uma moda em que ecoa a voz das ruas e da galera que acompanha os meninos em suas incursões pela cultura brasileira.
Fotos: Zé Takahashi
Galera, fiquem ligados ainda teremos a parte dois dessa matérias! Isso mesmo (rs).
Tem muitas coisa boa vindo por aí. Afinal foram cinco dias de muita passarela para nós, não é mesmo?
Pois bem! Enquanto seguramos a ansiedade para a próxima parte, você pode dar uma conferida também lá no nosso perfil oficial do instagram, ou do facebook, que sempre rola uns spoiler's (kkk). Aproveita e deixa o seu like, e seu comentário por lá também =)
Por hoje é só, pessoal! (rs)
Até a próxima.

Abraços do Brum - insta do Brum & Face do Brum =)
Fotos:
Divulgação & Agradecimentos:
MktMix Assessoria de Comunicação
Zé Takahashi
Vinícius Brum
Colunista de Moda Masculina

Nenhum comentário:

Postar um comentário